Artigos

/ Artigos / Liderança / 7 Atitudes para fazer a diferença

7 Atitudes para fazer a diferença

Autor: Armando Terribili Filho da IMPARIAMO®.

 

A definição de atitude encontrada nos dicionários de língua portuguesa é “comportamento ditado por disposição interior” (o grifo é meu e é intencional). Ou seja, a “atitude” é uma determinação pessoal, é nossa maneira de enfrentar as diferentes situações, é nossa conduta, é nossa “disposição” em como agir.

Não é uma habilidade técnica, mas comportamental. Com base nas pesquisas que realizei sobre o tema, selecionei 7 atitudes que podem fazer a diferença para todos nós, seja no campo profissional ou pessoal:

 

    1. OTIMISMO – temos que acreditar que as coisas darão certo, fazer de tudo para que deem certo, ter sempre uma visão positiva das coisas e passar sempre uma palavra de conforto e esperança. Lembre-se que o irmão do otimismo é o “bom humor”. Outro dia li uma citação em um recente livro espanhol que fez refletir muito. Lá, há a afirmação que na infância rimos cerca de 300 vezes ao dia e na vida adulta, apenas 15 vezes!
    1. PROATIVIDADE – temos que ter iniciativa em aspectos importantes e não esperar que outros nos digam o que temos que fazer. A ausência de proatividade nos traz a falsa impressão de não correr riscos. A irmã da proatividade é a “ação”. Melhor agir e arrepender-se, do que não agir e arrepender-se de não ter agido, como afirmou Machiavel.
    1. RESPONSABILIZAÇÃO – somos os protagonistas de nossas vidas, responsáveis pelos nossos atos, pela nossa trajetória pessoal e profissional. Assumamos essa responsabilidade e esqueçamos da vitimização, culpando os pais, professores ou até mesmos as empresas para as quais trabalhamos pelos nossos insucessos e fracassos. Como afirmou Millôr Fernandez, que errar é humano, mas botar a culpa nos outros é mais humano ainda!
    1. ASSERTIVIDADE e TOMADA DE DECISÃO – assertividade não tem nada a ver com “acerto” como muitos pensam. Ser assertivo é ser firme, objetivo e direto, defendendo posições sem sentir ou causar constrangimentos. Além disso, tomar decisão é algo complexo em um ambiente de incertezas, riscos, conflitos, pressões e limitações, mas sempre afirmo “não decidir é uma decisão” (e seremos responsabilizados da mesma forma, pela nossa omissão).
    1. BUSCA DA EXCELÊNCIA – procuremos fazer sempre o melhor que podemos (no tempo e com os recursos que temos). A busca da excelência é diferente do perfeccionismo, pois a excelência visa atender a expectativa do outro, enquanto, o perfeccionismo busca atender a expectativa do executante). Steve Jobs afirmou: “O trabalho ocupa grande parte do tempo de sua vida e só lhe trará satisfação plena se você fizer o que acredita ser um ótimo trabalho”.
    1. DISCIPLINA – a melhor frase que encontrei que define disciplina foi no livro “12 fatores para chegar ao topo da sua carreira”, que cita “Disciplina é o abandono do prazer e da satisfação imediata em troca de uma oportunidade ou recompensa muito mais importante e valiosa no futuro”. Se refletirmos sobre esta frase, veremos que se aplica ao nosso dia a dia na academia de ginástica, no curso de pós-graduação, na dieta alimentar, no estudo de inglês, etc.
    1. AUTOCONTROLE EMOCIONAL – é uma 12 das competências da Inteligência emocional de Goleman e Boyatzis. O autocontrole não significa inibir as emoções negativas, mas sim, saber expressá-las de forma adequada, sejam as positivas ou negativas. Antes se dizia que tínhamos que contar até 10 para evitar “perder a cabeça”. Hoje, se diz que basta contar até 6 (tanto que há uma organização internacional na área de Inteligência Emocional que se chama Six Seconds).

Em contrapartida, as 7 atitudes negativas que devemos evitar, segundo Samuel Ferreira (autor do livro “Atitude”) são: caráter explosivo, autopiedade (vitimização), prazer na desgraça alheia, medo do desconhecido, orgulho, vingança e autossabotagem.

Portanto, acredite com otimismo, tome iniciativa, responsabilize-se, seja assertivo, tenha coragem nas tomadas de decisão, busque fazer o melhor, tenha disciplina, persista e controle-se emocionalmente. Muito difícil? Lembre-se que são atitudes, ou seja, comportamentos ditados por disposição interior, ou seja, só depende de você! Vamos lá?

 

Referências:

CASADO LIUMBRERAS, Cristina. Entrenamiento emocional en el trabajo. Madrid: ESIC Editorial, 2009.

FERREIRA, Samuel. Atitude: práticas positivas que levam ao sucesso. São Paulo: Planeta, 2017.

GOLEMAN, Daniel; BOYATZIS, Richard. Emotional Intelligence Has 12 Elements. Which Do You Need to Work On? 06 Feb. 2017. Harvard Business Review. Disponível em: https://hbr.org/2017/02/emotional-intelligence-has-12-elements-which-do-you-need-to-work-on>. Acesso em: 15 set. 2018.

HOGAN, Kevin; LAKHANI, Dave; MARTI, Mollie. Os 12 fatores para chegar ao topo da sua carreira: descubra, desenvolva e potencialize suas competências. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

VÁZQUEZ, Santiago. La felicidad em el trabajo y en la vida: la positividad como inspiración laboral y personal. 2. ed. Madrid: LID Editorial, 2016.


Notas:

  1. É permitida a reprodução desse artigo, desde que citado o autor e a fonte (Impariamo® Cursos e Consultoria).
  2. Artigo originalmente publicado no LinkedIn e republicado na Revista Alumni da ESIC (Espanha)  n.56 – edição de Outubro/2020 p. 48-49 (ISSN 18875327).

 

Voltar

Compartilhe no WhatsApp