Menu

Agilidade na aprovação de patentes no Brasil: 19a. posição entre 20 países

Agilidade na aprovação de patentes no Brasil: 19a. posição entre 20 países

Com o título “País demora 11 anos para aprovar patentes”, Murilo Rodrigo Alves debate a lentidão existente no Brasil nos processos de aprovação de patentes. Em um ranking de 20 países, estamos na 19ª. posição, superando apenas a Polônia.

Na matéria publicada em O Estado de S. Paulo (25/maio/2015, página B8 – Caderno de Economia) é mencionada a situação crítica de alguns processos de pendentes, por exemplo, de um software desde 1997 (provavelmente, já obsoleto).

Os países mais ágeis nos processos de aprovação de patente são: Estados Unidos e Coreia do Sul. Outros países da América do Sul conseguem ser bem mais rápidos que nós, por exemplo, Peru e Colômbia que liberam as patentes em até três anos.

Segundo o autor, a agilidade brasileira vive um retrocesso, pois em 2003 a aprovação de patente levava em torno de 6 anos; em 2008, passamos para 9 anos; e agora, 11. Quem faz a concessão e garante os direitos de propriedade intelectual no país é o Instituto Nacional da Propriedade Intelectual (INPI), autarquia veiculada ao Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior.

 

Opinião da IMPARIAMO:

Considerando que o ciclo de inovação é cada vez mais rápido e que a inovação torna as empresas mais produtivas, mais ágeis e mais competitivas (seja no mercado nacional ou internacional) é imperativo que os processos de patentes sejam tratados de forma prioritária, seja por meio de estímulos às universidades e empresas na “criação”, e também, por meio de fortalecimento do INPI na “aprovação”.

Para levar a matéria publicada no Estado de S.Paulo: clique aqui

voltar ao topo

Cursos e Workshops

Consultoria

Impariamo...

Livros

Gerenciamento Projetos

Artigos